04 fevereiro 2014

ENCONTROS E DESENCONTROS!




A cada amanhecer eu levanto na esperança de ser feliz, que o dia vai ser diferente
Mas de repente, me encontro fazendo as mesmas coisas, no mesmo horário de sempre...
De repente observo que estou presa a uma rotina cansativa, Que me enfada a cada dia que passa
Ao cair da noite, às vezes sozinha, ouvindo uma música romântica viajo de volta num tempo que não posso mais recuperar.

Lembro dos tempos de escola, dos meus 15 anos, das amigas inseparáveis... Dos amores platônicos, que faziam meu coração palpitar de emoção ao ver o menino da escola ao qual eu era apaixonada.
Amor esse que sempre quis viver, mas por falta de coragem, Insegurança, retive sem pensar nas consequências que causaria em meu coração.

 Haaa quantas vezes saí da minha casa acompanhada de uma amiga, procurando você pelas praças, lanches, pizzarias, bosques... Saia sem direção, mas a intenção era apenas te ver

Quantas vezes me fingi de amiga, quando na verdade você era, e sempre será, o amor da minha vida

Tantos encontros e desencontros... Nos desencontramos nas curvas fechada da vida, e quando percebi já tinha perdido você de vista

Nossas mãos se desgrudaram , meus olhos choraram, meu coração sofreu.

E quando pensei que a dor seria insuportável, me vi sendo consolada em outros braços Eu não queria outro amor Mas no fundo os braços de outro alguém amenizava a dor de ter te perdido.

Autoria própria, Nalvinha Azevedo

2 comentários:

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]