01 fevereiro 2014

Me guarde



“Me guarde. Me guarde sempre! Não me guarde como anjo, pois anjos não possuem pecado. Não me guarde como joia, pois jóias são eternas. Não me guarde como um gosto doce, pois é preciso tocar a língua pra se saber qual gosto o gosto tem. Me guarde apenas como uma lembrança boa, de um alguém que sentou contigo no mesmo banco. Que te sorriu e te fez sorrir. Que lhe deu a mão e te arrastou quando mais precisou de um amigo. Que lhe fez o inverno, mas também lhe cobriu do frio. Que te fez a chuva, mas te mostrou o sol. Lembre-se sempre do mal que não te quis. Da melodia singela que te fez dormir. Da esperança morta que um dia criei. Da ilusão perdida por mim escrita. Da melancolia doce quando dançava comigo. De minha felicidade nervosa que cabia dentro do meu sorriso enquanto roía minhas unhas quando lhe via. Apenas me guarde. No mais fundo de seu melhor sorriso...apenas me guarde.”


(Ricardo F.)






3 comentários:

  1. Lindo demais Ricardo!
    Queria poder mandar esse texto para uma certa pessoa...
    Espero estar à altura de publicar no mesmo dia que você aqui no blog.
    Andei lendo tuas postagens lá no grupo e adorei cada uma!
    Parabéns!
    A cada texto aqui postado me sinto mais orgulhosa de fazer parte deste projeto.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Faço minhas as palavras da Ju, espero estar à altura de publicar no mesmo blog que você, Ricardo. Teus textos tocam e encantam, fazem eco dentro da gente... Tenho acompanhado teus posts lá no grupo do facebook, e fico feliz de poder acompanhá-los aqui também!!! Parabéns!!!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]