15 fevereiro 2014

RETICÊNCIAS


Imagem retirada do Google


O que é você?
Quem é você pra entrar sem pedir licença e desvendar todos os cantinhos escondidos da minha alma?
Para reabrir portas que eu tranquei e joguei a chave fora, jurando que nunca mais abriria?
Pra ler uma poesia e conseguir ver tudo aquilo que ninguém nunca viu, mas que esteve sempre, o tempo todo, dentro de mim?
Quem é você para tomar posse desse coração que eu jurei que não ia dar tão facilmente para mais ninguém?
Mera ilusão!!!
Bastou um olhar, uma pequena palavra de duas letras - OI - e meu coração se foi.
Agora é irrecuperável.
Quem é você para tomar conta de mim?
Deve existir algum propósito para alguém chegar desse jeito, revirando tudo na vida de outra pessoa.
Eu não sei quando, nem como, mas eu vou descobrir qual é o seu!
Enquanto isso sigo te amando.
Envolta nas asas do teu sorriso, perdida no brilho do teu olhar.
Totalmente entregue.
Não mais dona de mim.

________________________

Eu conheço cada parte do teu corpo
Mesmo sem nunca ter te tocado
Eu sei o que se passa no seu coração
Porque sinto com ele, como se ele fosse meu
Eu sei quando você não está bem
Eu sei tudo de você
Só não sei como entrar aí e tomar posse do que é meu.

___________________________


Achei estes dois textos enquanto revirava minhas coisas à procura da poesia que inicialmente iria postar aqui. Numa coincidência, bem no dia que te descubro perdido em meio aos contatos antigos do chip do meu celular, encontro estas palavras que um dia te escrevi.
E pensar que um dia você foi dono de todo esse sentimento. Digno e merecedor dele? Não sei...
Mas esse amor era todo seu; as palavras, todas tuas. Teu nome era meu recital favorito, meu poema mais lindo. Você, a mais perfeita inspiração.
E no entanto hoje, o que você é? Um buraco negro, um espaço vazio, um contato excluído, uma lembrança de dor...
Que pena de você. Queria que por um acaso, você passasse por aqui e pousasse seus olhos sobre as minhas palavras novamente. 
O que será que iria sentir? Seria capaz de sentir alguma coisa? De perceber o tamanho do amor que jogou fora?
Você era uma coleção de versos e estrofes, rimas e cantigas e agora, onde havia tudo isso, só restaram as reticências...




6 comentários:

  1. Amei os dois textos, Ju! Vou repetir o que você já me disse uma vez: tuas palavras falam tanto por mim...
    E é incrível perceber isso, sabe? Ver que por mais diferente que sejam nossas histórias, nós não estamos sozinhos porque sempre vai ter alguém que vive o que vivemos, sente o que sentimos...
    Que essas reticências não signifiquem dor, mana. É o que te desejo!
    Beijo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já foram muita dor, uma dor incomensurável. Agora são... sei lá... apenas reticências. Não sei explicar...
      Obrigada Malu pelo comentário!
      BJo

      Excluir
  2. Que demais Ju!!!
    adoro coincidências!rsrs Elas deixam a vida mais interessante!

    Belo texto!
    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Van, eu que me estava totalmente perdida sem saber o que ia postar aqui, procurando um caderno onde estava a poesia que ia postar, encontrei textos perfeitos e aí não teve jeito, a inspiração pediu passagem e assim surgiu essa postagem!
      Beijoss

      Excluir
  3. Amei seu post Ju.. suas palavras me fizeram relembrar muitas coisas.. e perceber que as pessoas realmente não dão o devido valor ao amor que nós temos aqui guardado!! Beijos e parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dé! Só vi seu comentário hoje...
      Ihhh se eu for te contar essa história, você não faz ideia de que não só a pessoa em questão não deu valor, quanto o rebaixou para menos que zero...
      Mas enfim, tudo serve como aprendizado. Se um dia a gente aprende e o que a gente aprende, somente dentro de nós mesmos é que podemos saber!
      Bjo

      Excluir

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]