29 março 2014

A Princesa no Mundo Real





Sei lá, acho que não nasci para viver nesse mundo.
Eu não estou acostumada com isso e percebo que nunca vou me acostumar.
Esse jogo que é a vida hoje em dia, onde só importa provar quem pode mais. Eu posso mais do que você, então sou eu quem dita as regras. Aqui você não apita, quem manda sou eu. E desobedece para você ver: mando te encher de porrada.
Essa violência gratuita batendo na porta da casa da gente e o que a gente pode fazer? Nada. Quando a gente vê lá longe na televisão, parece fácil de analisar. "Ah, mata todo mundo, enche a cara dele de porrada". Eu mesma tenho essas reações extremas quando vejo algumas coisas na televisão. Defendo imediatamente a lei do "olho por olho, dente por dente".
Mas tudo muda de figura quando chega mais perto de você. Quando deixa de ser lá na TV e passa a ser na sua cidade, na sua rua, na sua casa.
A violência me deixa estática. Paralisada de medo. Inquieta. Agoniada de pensar na dor que pode provocar. Imaginar quantas pessoas por aí apanham por não terem - ou por só terem - 10 reais no bolso para dar a um indivíduo que as venha assaltar. Quantas não apanham dolorosamente, chegando a ter traumatismos e até morrer por terem se mexido ou agido de maneira "errada" durante um assalto? Ver uma pessoa apanhando é uma coisa que eu nem consigo imaginar. Só de pensar nessas coisas de tortura, de machucar as pessoas, meu peito já se aperta e eu começo a passar mal. Dá tremedeira, falta ar. Tudo o que eu quero é por as mãos na cabeça e gritar até tirar essa imagem da mente.
Ver um monte de gente se juntando, numa marcha sob um nome disfarçado, chamando a volta da ditadura militar, é uma coisa que eu simplesmente não posso entender. Não posso aceitar. Que mundo é esse que a gente tá construindo? Que caminho é esse, de volta aos tempos medievais que estamos querendo tomar?
Eu não sei. pra mim tudo isso é falta de amor, de respeito ao próximo. De que independentemente de crenças, credos e religiões, etnia, orientação sexual, somos todos seres humanos e deveríamos ser racionais. Ou não?
Eu devo ter sido arrancada de algum Conto de Fadas. Não consigo conviver com tanta dor, com tanto machucado, com tanta coisa errada.
É duro acordar e perceber que existem coisas mil vezes mais perigosas do que uma maçã envenenada por aí...  


                                                                     

2 comentários:

  1. Realmente Ju. Esse myndo que estamos construindo vai acabar nos matando. Triste realidade. Resta a esperança de que tudo.possa mudar. Só não podemos ficar esperando apenas! :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cá!
      Eu respondi este comentário no dia que você comentou, mas pelo jeito, a beleza da minha internet não me deixou publicá-lo.
      Como não lembro nada do que tinha escrito, resta-me agradecer por suas palavras e concordar totalmente com você.
      Grande sabedoria em poucas linhas.
      bjos

      Excluir

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]