10 março 2014

Sentimento do Mundo

Olá amigos leitores,
 
Após uma semana de festejos populares, em algumas cidades a rotina diária das pessoas teve seu contorno modificado. Felizmente o curso normal está restaurado e os estudantes estão novamente em sala de aula. 

Hoje lhes trago um poema de Drummond que intitula o seu terceiro livro Sentimento do Mundo lançado no ano de 1940.
Imagem Google

Sentimento do Mundo

Tenho apenas duas mãos
e o sentimento do mundo,
mas estou cheio de escravos,
minhas lembranças escorrem
e o corpo transige
na confluência do amor.

Quando me levantar, o céu
estará morto e saqueado,
eu mesmo estarei morto,
morto meu desejo, morto
o pântano sem acordes.

Os camaradas não disseram
que havia uma guerra
e era necessário
trazer fogo e alimento.
Sinto-me disperso,
anterior a fronteiras,
humildemente vos peço
que me perdoeis.

Quando os corpos passarem,
eu ficarei sozinho
desfiando a recordação
do sineiro, da viúva e do microscopista
que habitavam a barraca
e não foram encontrados
ao amanhecer
esse amanhecer
mais noite que a noite


Andrade, Carlos Drummond de, 1902-1987. Sentimento do Mundo. 1ª Edição - São Paulo: Companhia das Letras, 2012. Págs. 11-12

Um pouco mais sobre o poeta:
Carlos Drummond de Andrade. In Britannica Escola Online. Enciclopédia Escolar Britannica, 2014. Web, 2014. Disponível em: <http://escola.britannica.com.br/article/483223/Carlos-Drummond-de-Andrade>. Acesso em: 08 de março de 2014.


A todos deixo aqui o meu agradecimento por sua visita ao blog e desejo uma ótima semana

Um fraterno abraço a todos

Um comentário:

  1. "Tenho apenas duas mãos
    e o sentimento do mundo"

    Como é fantástico este poema!!!
    gosto demais!!!

    Beijos mocinho!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]