08 maio 2014

Café com amor 2

O E-mail

Por Manueli Dias

Marcelo entrou naquele café, mais cansado do que nunca, o dia fora louco. 
Pediu um café, descafeinado, o que nem ele entende, café sem cafeína, qual a graça? 
Mas, era assim que ele gostava. Saboreando seu café, resolveu ver seus e-mails.
Ficou boquiaberto, havia uma resposta de e-mail, qual já fazia tanto tempo que ele escrevera, 
que mal acreditou. No entanto, começou a ler:

"Oi, tudo bem?
É estranho eu está aqui, te escrevendo, mas sabe, tem dias que precisamos 
colocar o que está guardado pra fora. Não sei, mas é que são tantos sentimentos 
e nem sempre consigo conviver com todos eles.
Será que você ainda se lembra de mim? Sei lá, faz tanto tempo, né?!
Ainda ontem a noite eu sonhei com você, não vou descrever, 
mas posso dizer que foi bastante real, e sabe cara, isso me assusta, 
depois de tanto tempo, você ainda bagunça nos meus sonhos. 
O que é estranho, porque dizem que sonhos é apenas a reprodução 
daquilo que muito pensamos, mas eu penso em coisas e pessoas 
diferentes agora.
Sabe, eu sinto tua falta, e talvez você nem sabia disso...
Às vezes eu queria entender tudo isso, gostaria de entender porque 
ainda sinto um frio na barriga só de pensar em você, pensar... Ah, o 
destino foi tão injusto com a gente, porque pensando bem, tínhamos 
tudo pra dá certo, ao menos era assim que eu via.
Agora eu nem sei onde você pode estar. Se está em algum lugar que 
eu conheço, ou de repente, ainda goste de passar naquele café, 
como fazia todos os finais de tarde. Mas, nem sei se você ainda 
está na mesma cidade.
Eu nem sei se tenho esse direito, mas gostaria de saber onde você anda... 
Não se preocupe, não irei feito louca te encontrar, só quero saber qual 
lugar ganha o brilho do seu sorriso ou a suavidade do seu riso. 
Lembra do quanto eu adora seus risos?
Talvez você já tenha esquecido de mim... Mas, gostaria que soubesse 
que aqui, em mim, você não deixou de existir.
Eu gostaria de ter coragem pra te ligar... Me desculpar, acho que fui 
muito imatura, sei lá... Enquanto eu não tomo coragem pra te ligar, te 
envio este e-mail, que nem sei se vai lê-lo. E se lê, saiba que ainda 
sinto sua falta, que você ainda é presente em mim....
Sabe, espero mesmo que você consiga entender meus sentimentos, 
mais do que eu mesma.
Até mais, quem sabe..."



2 comentários:

  1. Andou mexendo na minha caixa de emails, Manu? rs
    Lindo texto!!!!

    ResponderExcluir
  2. Como é mesmo que se fala no inglês?

    Fantástic!

    Você nos emociona Manu! Um prazer te ler! ;)

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]