06 julho 2014

A Boba

Ontem, como fiquei fora o dia todo, não tive tempo de postar. Então trago agora o texto deste sábado 5/7.

Fonte da Imagem: Motim das Letras



Quantas vezes eu chorei na sua frente, pedindo desculpas por coisas que eu não fiz?
Por te acreditar tão melhor que eu, tão incrível e inigualável que a culpa de tudo estar dando errado só podia ser mesmo minha?
Porque, claro, a boba, apaixonada e iludida era eu. Então era óbvio que eu estava confundindo meus sentimentos. Que eu estava achando que você era minha propriedade, monitorando desta forma, teus passos, querendo decidir teus caminhos e te impedindo de ser a pessoa que você era.
É claro que a culpa era minha. Porque sua não poderia ser. Logo você, o ser supremo, sempre tão racional! Era impossível que o errado fosse você! Porque você sempre estava certo. Sempre. O ser humano perfeito. O cérebro ultra perceptivo.
Jamais admitiria algo que estivesse fora do seu controle. Era muito mais fácil jogar a culpa em cima da boba. Eu, a boba da corte. Que estava ali, à disposição para ser divertida enquanto fosse de sua serventia e para ser insultada quando não lhe servisse mais. Para ser ridicularizada e atirada na lama da vergonha de mais uma vez amar e errar.
Era mais fácil culpar a boba, do que admitir que tinhas perdido teu próprio coração.
Hoje, depois de toda a chuva que lavou minha alma, enxergo com clareza e vejo que fui boba, não por te amar, mesmo que você não merecesse; mas por achar em algum momento que a culpa era minha. Eu sempre enxerguei, entendi e aceitei meu próprio coração.
Espero que um dia você também consiga fazer o mesmo com o seu.

2 comentários:

  1. Pedir desculpas pelo que não se fez... ah, Ju! Como comentar esse seu texto sem se deixar levar pelo pensamento que vai, e vai longe? Na nossa mania de ver o mundo, as pessoas e as relações por lentes cor-de-rosa, acabamos por fazer muitas vezes o papel de boba, né?
    Talvez por acreditarmos e esperarmos sempre o melhor de cada um, e quando esse melhor não vem, acabamos por achar que alguma coisa nós fizemos de errado. Mas na verdade, não erramos em nada, só vivemos com intensidade a realidade do nosso coração. E isso não é bobeira, isso é coragem, coisa que muita gente não tem...

    Beijo, gêmea!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Malu. Demora um tempo e a gente fica mesmo parecendo boba. mas bobo mesmo é quem não ama, por medo de parecer bobo. E aí sim se torna um bobo de verdade.
      Ninguém é bobo por seguir seu coração.

      Bjosss

      Excluir

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]