02 abril 2015

As Horas!



Horas calmas
Que o mar beija a areia
E a rainha das águas passeia em seu manto transparente
As estrelas ilumina o céu
É inverno, o vento é gélido,
As flores sonham com a próxima primavera

Horas serenas
Onde a noite é majestade
Coberta de seu manto betume e pontos brilhantes
O silencio intensifica sua magia
O vento se faz mensageiro da sorte

Horas silenciosas
Que dormem sobre o abrigo lunar
Que atravessam a aurora
Horas ansiosas
Que se misturam com o desejo

Horas rápidas
Deglutidas pelo tempo
Horas indesejadas por um condenado
Horas que tecem os fios do destino
Horas que desenrolam o favo da vida
Numa perpetua ilusão.

Manueli Lima Dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]