08 julho 2015

A verdade como condição


We Heart It

Maior que o incômodo de caminhar com uma pedra no sapato, é o peso de carregar o sentimento da mágoa no coração. É a sensação de estarmos presos a uma situação cuja resolução não depende só da gente. E o pior de viver algo assim é que, como nossos sentimentos são atores, a senhorita mágoa pode se disfarçar por trás da capa de um lindo sorriso, se ocultar sob o capus de um automático dar de ombros ou mesmo se esconder sob a máscara de uma irreverente indiferença. Sim, eu e você podemos  estar convivendo há anos com esse peso na alma e nem se quer termos nos dado conta disso.  

A mágoa na alma é como um câncer no corpo, e apesar de não ser psicóloga e muito menos oncologista, eu sei que não é por acaso que esse sentimento acumulado e alimentado por anos a fio pode, sim, vir a desencadear tal doença na nossa organização física. E daí vem a sensação que ele passa pra gente: de dor e vazio. Dor porque ela, mágoa, nos machuca e corrói por dentro, fere. E vazio porque, feridos, passamos a nos sentir órfãos e incapazes de abrigarmos qualquer outro sentimento. Perdemos literalmente a capacidade de sentir o bem que existe em nós.

Talvez você ache minhas palavras dramáticas demais, mas só quem já se viu envolvido numa experiência cuja consequência se traduziu em mágoa é capaz de compreender o quão dolorosa ela é. Não existem palavras que consigam calá-la. Não existem atitudes que consigam modificá-la, se em nós não houver o desejo forte e resoluto de perdoar para dela nos libertar. Mas quem disse que perdoar é fácil? Quem disse que lidar com o que foi destruído - confiança, principalmente - é algo simples de se fazer, pelo menos para nós, meros mortais?  

We Heart It

Não. Perdoar não é fácil. Mas, ao mesmo tempo, é imprescindível e a única atitude que podemos tomar, se quisermos de fato seguir em frente. E é por pensar assim que eu te deixo ficar na minha vida, se você me vier - dessa vez - de e com verdade. Eu topo recomeçar tudo do zero (agora protegendo o limite que outrora foi ultrapassado, claro!). Seremos colegas. Talvez até amigos, mas só se você mostrar e provar que merece esse voto gratuito de confiança. E não, não pense que isso é chantagem e muito menos generosidade. Se você puser a mão na consciência, vai perceber que  essa condição é apenas o cuidado que eu deveria ter tido antes, no momento que te conheci. 

Lembrar de tudo e perceber que hoje eu não te conheço mais é complicado. Tuas palavras,  que antes sem o menor esforço da tua parte me encantavam, hoje me chegam embrulhadas num papel onde só vejo escrito as advertências "desconfie", "não acredite". Sim, porque eu não posso fugir da realidade da ferida que você abriu dentro de mim e muito menos camuflar o fato de que você abusou da minha confiança, do meu jeito carente de ser e do meu modo quase ingênuo de lidar com as pessoas. Eu não nego que quis tudo o que vivemos sim, mas quis porque achei que você era outra pessoa, e não esse cara frio e insensível capaz de brincar com o sentimento alheio. 

Quando me pergunto quem você é hoje pra mim, eu não sei responder,  e isso me faz detestar o fato de você agir como se nada tivesse acontecido. "Então, se é assim, por que insistir na manutenção desse laço?" - foi a pergunta que ouvi hoje. "Por que manter contato com alguém que te feriu e machucou da forma mais cruel possível?" Parece loucura, mas minha resposta - finalmente deixando fluir o choro sufocado - foi que eu não aguento o peso da mágoa no meu coração, não suporto a sua prisão. Preciso me ver livre desse sentimento, e se o preço para transformá-lo dentro de mim for conviver com você, eu aceito. Eu até quero. Mas, agora, dentro das minhas condições. Eu sempre te dei toda a verdade, moço, e finalmente percebo que não posso aceitar nada menos que isso.

2 comentários:

  1. Ah Malu...
    Esse texto me desperta tantos sentimentos que eu já nem sei mais o que comentar...
    Por que no meio dessas tormentas é sempre o nosso coração que carrega o maior peso? Por que, mesmo sabendo que fizemos o certo, tudo conspira para fazer parecer que a gente agiu errado? São tantas perguntas sem resposta...
    E o pior de tudo é quando o "culpado" não sente a menor culpa. E isso só faz a gente ficar mais arrasada.
    Queria ter uma explicação para te dar, ter respostas para as perguntas que você fez, mas ainda não consegui encontrar nem as minhas, que dirá poder responder as suas...
    Podemos apenas nos consolar sabendo que não somos as únicas e manter viva a esperança de que, quem sabe um dia, essas respostas cheguem até nós.
    Mil beijos de um coração gêmeo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju...

      Eu ñ queria, mas pelo andar da carruagem, os meus textos ainda serão todos assim pelo menos até que ventos novos comecem a soprar por aqui.

      Obrigada por compartilhar da mesma esperança comigo! Beijinhos!!! <3

      Excluir

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]