26 outubro 2015

Inusitado tempo



Inquietantemente 
O lustre balançava.
Ora iluninava,
ora não,
a escrivaniha
no canto da sala. 

Nela havia um caderno
há muito tempo
palavras não lhe eram ditas 

Naquela noite 
puxei a poltrona
suspirei profundamente
e, ao começar a escrever,
as lágrims
  Inundaram minha face.

As virtudes daquele lugar
Alegravam meu coração

E o vento cantarolava lá fora, 
E eu concluía aqui dentro 

Obrigado por viver mais um dia.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]