28 outubro 2016

Minha Estranha Filosofia Poética

Boa noite.

Minha Estranha Filosofia Poética

Imagem: Google.

Para escrever
Eu acomodo meus dedos na caneta
Os sentimentos no coração
O papel se torna meu maior confessor

A leveza do meu sentir
Vai tecendo cada letra
Cada verso
Sendo colocado no papel

Necessito desse exercício constante
Escrever minhas angústias e perdas
Alegrias e conquistas

É minha estranha necessidade
De me confessar pro papel
De viver poeticamente.


       Ótimo fim de semana.

                                  Abraços.

                                       Isa Espinosa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]