24 setembro 2014

Saudades, Beija flor


Separei uns versos pra te mandar quando sentir saudades, separei também as músicas que você me lembrava. Tinha tanto de nós nelas. Eu conseguia ouvir tua risada quando escutava rainbow, e o som da tua respiração ofegante ao som do Marcelo Camelo. Toda a suavidade descrita naqueles poemas em forma de canção.

Separei também a saudade pra lembrar o que nunca vivemos, os abraços que nunca demos e o teu sorriso que nunca tive a sorte de ver, assim, tão de perto. Também separei as cartas que nunca tive coragem de te escrever e enviar. Nelas continham segredos de amor que só nós dois sabíamos. Segredos de viver para sempre, até o fim, um com o outro.

Sonhadores, alguns nos chamariam assim se tivessem nos conhecido juntos. Eu aqui, e você à uns milhares de quilômetros de mim. Amor impossível, é assim que chamam, mas eu o intitularia de 'amor bonito', cheio da essência do perfume mais florido. Cheiro de rosas, o nosso amor tem cheiro de jardim em tempos de primavera. Um jardim que o jardineiro esqueceu de regar, de podar e alimentar... Hoje ficou apenas uma saudade bonita e toda minha de quando, no nosso jardim, eu era a rosa e você o beija flor.

Eduarda Lins

2 comentários:

  1. Que importa a distância quando os corações batem no mesmo compasso, não é mesmo? Parabéns, lindo texto.

    ResponderExcluir
  2. Isso mesmo. Muito obrigada, Edith *-*

    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita!
Ficaremos muito felizes com teu comentário!

Att,
Nós, Poéticos e Literários!
nospoeticos@gmail.com

Design por Amanda
[ voltar para o topo ]